Qual sua relação com o dinheiro?

de

Hoje o assunto é dinheiro, topa falar sobre isso?

Na minha rotina de consultório, percebi que poucas pessoas falam sobre a vida financeira. Comecei, então, a pesquisar sobre isso e também a trazer esta questão para mais próximo dos meus clientes. Foi assim que surgiu esse texto e gostaria de compartilhar com vocês.

Nestas pesquisas, conheci duas pessoas maravilhosas que falam (sem papas na língua) sobre o assunto: a jornalista e especialista em finanças pessoais Nathalia Arcuri (youtuber do canal Me poupe!) e o consultor financeiro Eduardo Amuri. Eduardo fala da parte emocional com dinheiro e Nathalia dá muitas dicas práticas, além de ser bem divertida.

Eduardo diz que existem dois tipos de pessoas, aquelas que cuidam do seu dinheiro e aquelas que são reféns dele. As que são reféns acham que SEUS PROBLEMAS FINANCEIROS são exclusivos e pouco falam sobre o assunto, sofrendo como se fossem o único ser humano do planeta a ter problemas financeiros, mas não são. Lidar com o dinheiro é muito mais emocional do que racional, você já tinha pensado nisso? O dinheiro não compra um carro ou uma calça, na verdade ele compra sensações e emoções ao obter o objeto, desta forma o seu cérebro vai fazer de tudo para você obter o prazer imediato, sabotando seus sonhos de longo prazo, e você se torna refém, não do dinheiro, mas dos prazeres imediatos. Entendeu por que controle financeiro é muito mais emocional do que racional?

Depois de me aprofundar mais no assunto comecei a trazer para a sessões dos meus clientes, e tirei algumas conclusões! Controle financeiro está fortemente relacionado ao controle emocional, por isso este é um assunto da psicologia e do bem estar.

O sentimento de descontrole da própria vida é muito mais angustiante do que a falta de dinheiro em si, o dinheiro muitas vezes é só mais um fator descontrolado na vida da pessoa. A falta do dinheiro acaba acarretando em muitas privações e a pessoa deixa de se permitir a ter DESEJOS. E como ser feliz sem poder desejar, planejar, executar e principalmente concluir um objetivo?

Desejo sem ação gera frustração. Se você não tem um planejamento financeiro [não é sobre o quanto você ganha, mas como utiliza os recursos, ok?]. Então venha comigo, proponho que pare para refletir nessa frase: “E se, ao invés de se privar de algo por não ter os recursos ainda, você se privasse para guardar e num futuro próximo tivesse? Não seria mais tranquilo do que se privar somente na falta do dinheiro?

Para mim esta é a cereja do bolo, o pensamento que faz toda a diferença entre as pessoas que controlam das que são controladas pelo seu dinheiro. Pois quem está no comando é VOCÊ e SEUS COMPORTAMENTOS e sua forma de
pensar é que garantirá o uso consciente dos seus recursos financeiros. Quem tem o PODER sobre sua vida, você ou a falta de dinheiro?

Complemento com a fras de Nathalia Arcuri: “DINHEIRO, adestre-o ou seja adestrado por ele.”

Quando as pessoas deixam de olhar o dinheiro como um tabu e começam a falar e se implicar com o papel dele em suas vidas, automaticamente organizarão suas finanças, voltando a ter poder sobre suas escolhas diárias. E aqueles que satisfazem seus desejos são mais felizes, não é mesmo? Ah, você pode ter falado muitas vezes: mas dinheiro não traz felicidade. Certo, mas fique sem dinheiro para ver a “dor de cabeça”. A capacidade de lidar bem com o dinheiro gera ESTABILIDADE!

Então é isso, espero que tenham gostado e ampliado a sua forma de pensar sobre o seu DINHEIRO.

Vou parando por aqui, apesar de esse assunto render muito mais.

CONTROLE SEU DINHEIRO, CONTROLE SUA VIDA!

Ainda não há comentários.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *